14/09/2018doc9

O que faz de você um Péssimo Advogado?

A área do direito está saturada de profissionais no mercado e a concorrência só aumenta. Um advogado não pode se dar ao luxo de perder clientes ou manchar sua imagem quando se tem uma competição tão forte na área. O menor erro pode causar uma grande marca em sua vida profissional. Muitas vezes são erros que nem mesmo notamos, mas que podem estar fazendo de muitos, péssimos advogados. Já parou para pensar o que faz de você um Péssimo Advogado?

O que faz de você um Péssimo Advogado?

Não é porque você possui um grande escritório, gerencia uma grande equipe ou já está consolidado há anos no mercado, que isso faz de você um bom advogado. O pior de tudo é que muitos bons advogados iniciantes acabam se tornando péssimos advogados por se espelharem em outros mais experientes, recebendo uma orientação distorcida de como se deve agir.

Pensando nisso, listamos alguns pontos que podem fazer de você um péssimo advogado.

O que faz de você um Péssimo Advogado?

1º – Parar de estudar

Esse talvez seja um dos maiores problemas para aqueles advogados que já estão há um bom tempo no mercado. A área do direito é algo que está em constante mudança, assim como a área da tecnologia ou da saúde, e aquele advogado que para de estudar acaba ficando ultrapassado. É de extrema importância se manter sempre informado, assim podendo também informar o seu cliente. A tecnologia é um dos maiores aliados para isso, há diversos sites que podem ajudar você. Lembre-se, o conhecimento é a principal arma do advogado, então é muito importante estar sempre preparado. Esse de fato é o principal ponto sobre o que faz de você um péssimo advogado.

2º – Comunicação Ineficaz

A tarefa mais importante para se fazer antes de realizar alguns processos é conversar com seu cliente. Conversar não é apenas contar como algo aconteceu ou como funciona tal processo. Conversar é uma via de dois caminhos, um de ida e outra de volta, é uma troca constante de informações de todos os lados. Não adianta bombardear seu cliente com diversas palavras complicadas e termos técnicos, é importante haver clareza nas informações, mesmo que isso signifique falar da forma mais informal possível. Também é muito importante estar aberto para responder perguntas e receber sugestões de seus clientes, isso demonstra que você está interessado e disposto.

3º – Desvalorizar trabalhos menores

Isso é algo que pode acontecer com aqueles advogados que exercem atividades de correspondência junto das atividades de seu escritório ou advogados que tem um vasto leque de clientes. É muito comum ver advogados pesando o que é mais ou menos importante dentro das diligências que precisa realizar, assim dando menos atenção ou até tratando com descaso os processos menores. Isso demonstra que há um desinteresse e até um desrespeito perante a profissão, fazendo assim que os clientes pensem que só o dinheiro importa para você.  Mas é claro que o tempo dedicado para cada tarefa não quer dizer necessariamente que não há compromisso e respeito, já que existem processos dos mais variados tipos, podendo demorar ou não para serem concluídos.

4º – Não reconhecer seus limites

É comum ver advogados realmente dispostos, que abraçam todas as diligências que aparecem na sua frente. Apesar dessa demonstração de paixão e compromisso com a profissão ser algo realmente bonito, as vezes não é a melhor maneira de agir. É muito importante saber dizer “não” e ter um constante controle de tudo que sendo realizado naquele momento e também um constante gerenciamento de tempo. Assim evitando a perda de audiências que podem prejudicar muitas pessoas, também evita que você não consiga se preparar adequadamente, já que estaria lotado de tarefas paralelas. Outra opção que é muito viável, é a contratação de advogados correspondentes, que podem prestar diversos serviços, trazendo mais credibilidade para você ou para seu escritório. Esse é um dos pontos mais fáceis de mudar sobre o que faz de você um péssimo advogado.

O que faz de você um Péssimo Advogado?

5º – Você não sai da sua zona de conforto

É muito bom ter uma área em que você é especialista, mas no momento que você se torna um especialista acaba estagnando caso não vá se introduzir em outras áreas ou até mesmo desenvolver novos métodos para sua área de especialidade. Se você vê que está perdendo clientes, está estressado com seu trabalho, se sentindo insatisfeito ou até mesmo achando que alcançou seus objetivos está na hora de sair da sua zona de conforto e experimentar ou tentar coisas novas. Assim você cresce profissionalmente e pessoalmente, podendo conhecer pessoas novas e até áreas de interesse que você nem imaginava.

6º – Você não para de trabalhar

Nós sabemos que quando encontramos algo que realmente nos satisfaça acabamos fazendo aquilo por muito tempo, com a advocacia não é diferente. Um advogado sempre tem a agenda sempre lotada e dificilmente fica livre, o problema é que quando consegue tempo livre, acaba usando para trabalhar mais e adiantar tarefas atrasadas.  Mesmo sendo um compromisso com o trabalho, é muito importante saber manter sua vida social e descansar, muitas vezes o desempenho cai quando não se tem um momento de descanso, então é muito importante parar para curtir o fim de semana com a família, sair com os amigos ou até ficar em casa vendo aquela série que você gosta.

Lembre-se, não existe profissional perfeito, sempre há o que melhorar e o que acrescentar, basta apenas se focar em fazer isso sem ter medo de errar. Agora que você sabe O que faz de você um péssimo advogado, pode entender como melhorar sua vida profissional. Entre em contato!

O que faz de você um Péssimo Advogado?

Lorem ipsum dolor sit amet

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. A vestibulum diam tincidunt mi odio aliquam tellus aliquam dictum. 

SAIBA MAIS

Compartilhe:

MAIS CONTEÚDOS PARA VOCÊ

Recompensa em Dinheiro

LEIA MAIS

Saiba Como um Advogado Correspondente pode Facilitar a Rotina da sua Empresa

LEIA MAIS

Robôs Extinguirão as Carreiras Jurídicas! Só que não

LEIA MAIS
Assine a Newsletter e fique por dentro das novidades.