09/02/2023doc9

Inovações no meio jurídico: como manter as rotinas seguras?

Artigo por Klaus Riffel – CEO Whom e Doc9

Garantir a segurança das informações pessoais e corporativas é uma postura estratégica que os escritórios de advocacia devem adotar. Sem isso, correm o risco de perderem credibilidade, clientes e dinheiro, podendo chegar até mesmo ao fechamento da empresa.

Para assegurar essa proteção, eles podem adotar diversas soluções para garantir a segurança dos acessos, desde o estabelecimento de políticas de segurança até o uso de softwares. Isso porque a preocupação com segurança deve se refletir na cultura da organização, fazendo com que todos estejam envolvidos com a proteção de dados.

Para refletir sobre esse assunto, conversei com Claudio Dias, colunista do Portal Crypto ID e
Privacy and Data Protection Lawer do Peixoto e Dias Advogados, e Marcelo Pessoa, Diretor de TI no Ferreira e Chagas Advogados. O tema do bate-papo foi “Tecnologia e gerenciamento de acessos: os desafios de manter rotinas ágeis e seguras”, e ele aconteceu na mesa.doc, sediada no stand Whom durante a Fenalaw 2022. Neste artigo, trago os principais pontos que tratamos nesta mesa redonda para que você possa refletir conosco. Boa leitura!

As transformações que a tecnologia trouxe ao setor jurídico

A Transformação Digital trouxe diversas mudanças às organizações, que precisaram se virtualizar para otimizar seu desempenho no mercado. Com a área jurídica não foi diferente: em poucos anos, o setor partiu da máquina de escrever e chegou ao processo eletrônico.

Tudo isso aconteceu de uma maneira muito rápida. “A tecnologia não espera ninguém. Ela não aguarda evoluções legislativas. Ela atropela tudo e se estabelece”, como disse Claudio Dias em nosso encontro na mesa.doc.

Entre as mudanças mais marcantes que ocorreram nesse período está a necessidade de garantir que as identidades e acessos digitais sejam seguros. Apenas dessa maneira é possível conquistar e manter a confiança dos colaboradores e clientes. Mas, será que os escritórios estão dando a devida atenção a essa questão?

Os escritórios realmente estão preocupados com segurança?

A segurança da informação tem relação com a defesa dos dados com os quais as empresas trabalham. Seu objetivo é garantir que apenas os responsáveis e as pessoas ou empresas com as quais estes decidem compartilhá-las têm acesso a essas informações.

Este é um item essencial para o bom funcionamento de qualquer negócio, já que as informações exercem função estratégica nas organizações. Por isso, é essencial planejar e implementar medidas de segurança que protejam os dados de todos os colaboradores e clientes.

Essa pauta vem sendo inserida à força no mercado, especialmente do Direito. Um grande exemplo é a tecnologia do certificado digital, que chegou e não perguntou se o advogado a queria. Ele foi obrigado a utilizá-la, mesmo encarando-a somente como um custo a mais e sem entender por qual motivo ela era necessária. 

Hoje, os advogados estão mais preocupados com quem vai acessar seus sistemas e assinar suas petições. Apesar disso, eles ainda precisam entender que o conhecimento e o acesso à tecnologia têm a ver com poder, mas mais do que isso, têm a ver com segurança. 

Mas, para que haja essa mudança de mentalidade e os escritórios realmente se preocupem com segurança, são necessários três passos:

  1. Entender que a tecnologia não é um custo ou uma barreira;
  2. Entender que ela traz inúmeros benefícios e mais agilidade;
  3. Enxergar a tecnologia enquanto segurança.

Qual é o principal gargalo dos escritórios de advocacia quanto à segurança da informação?

O gargalo central dos escritórios de advocacia quanto à segurança da informação está na conscientização. Diversos profissionais da área não conseguem identificar todos os riscos em potencial que existem em sua rotina de operações e sequer pensam na possibilidade de se proteger contra eles. 

Outros reconhecem os riscos, mas não sabem que eles podem ser solucionados por boas práticas e soluções tecnológicas.

Todos os dados referentes aos clientes e colaboradores de um escritório de advocacia estão disponíveis nos sistemas utilizados pelos profissionais no dia a dia. Como são muitas informações, é comum que elas sejam salvas na nuvem, dependendo da internet para serem acessadas.

Mas, quando o escritório não tem uma boa segurança da informação, estes dados podem ficar vulneráveis. Uma falha na segurança pode causar estragos como a exposição dos dados de seus clientes ou da movimentação de valores financeiros em certo período.

Hoje em dia, essas informações correspondem ao patrimônio dos escritórios. Por isso, é essencial preservá-las e mantê-las fora do alcance de quem não faz parte da empresa, evitando danos à sua imagem e prejuízos financeiros. A conscientização é fundamental, e a cada dia, irá gerar mais possibilidades de evolução, e também de trabalho para o advogado. 

Reflexos da falta de conscientização

Existem profissionais e escritórios que não estão preparados para lidar com a tecnologia que usam em seu dia a dia.

Exemplo disso é que atualmente, um dos requisitos para um advogado ser contratado por um escritório é ter um certificado digital. Esse é um documento de uso individual, já que confere ao utilizador um poder muito grande. 

Por meio dele, é possível acessar sistemas e fazer ações como a transferência de propriedade de um imóvel ou veículo, por exemplo. Mas, muitos profissionais ainda não possuem esse documento, seja por vê-lo como um gasto ou por acreditar que a obrigação de fornecê-lo é do escritório.

Também  existe um outro extremo: há escritórios que não exigem o uso individual do certificado digital. Ao invés disso, compartilham um único certificado sem restrições ou ferramentas de proteção. 

Justamente para trazer mais segurança diante desse cenário que nasceu o Whom. A ferramenta visa tornar mais segura a prática de compartilhamento de certificado digital, que, embora frequente, geralmente também é perigosa no meio jurídico.

Além disso, há muitos escritórios que não se adequaram, não criaram comitês de segurança da informação e têm a visão de um empresário do século XIX, que diz: “vamos ver se a Lei pega”. Somente quando ocorre um problema, uma sanção ou penalidade, eles recuam e vão atrás de sistemas de proteção.

Mas, esses empresários se expõem a um risco que pode trazer um impacto tão grande ao negócio que eles sejam obrigados a fechá-lo. Por isso, é essencial que esses empresários e profissionais do Direito tenham consciência do que é e de como prezar pela segurança da informação. 

Segurança da informação e compliance

Atualmente, os escritórios são cobrados por clientes e fornecedores quanto à adequação à legislação. Dessa forma, quem quer se manter em conformidade ao longo de sua rotina precisa ter a segurança da informação como um dos pilares da empresa.

Para proteger as informações, que é uma obrigação de todas as empresas, é preciso dar o primeiro passo. Isso não significa, necessariamente, contratar um sistema robusto que tampe todas as brechas possíveis. 

É possível começar com pequenas atitudes, como palestras de conscientização, mesmo em empresas pequenas. Também é preciso ter mecanismos de identificação para que quaisquer riscos estejam mapeados e se certificar de que a empresa conte com um bom gerenciamento de seus acessos, prezando pela adequação à Legislação. 

Um exemplo trazido na nossa mesa é a digitalização do acervo dos escritórios, que hoje é uma exigência. Uma forma de manter a segurança e o compliance destes arquivos é assinar cada um deles com o certificado digital para manter os dados do registro nos arquivos.

Confira algumas dicas práticas que nossos convidados trouxeram para auxiliar na implementação da segurança da informação:

  • Conheça as ferramentas de proteção;
  • Use o certificado digital;
  • Comece a criptografar seus arquivos;
  • Use uma caixa de e-mail que use criptografia de ponta a ponta;
  • Adote um sistema de gestão em seu escritório que auxilie na proteção da informação.

Certificado digital: uma importante ferramenta para a segurança da informação

Quando há um vazamento de dados, as primeiras perguntas que surgem são: quem vazou? Por onde vazou? Quem foi afetado? A quem eu devo comunicar? Nesse sentido, o controle de acesso que o certificado digital possibilita é um grande aliado para o cumprimento da proteção de dados pessoais. 

Este documento tem a capacidade de identificação, que é muito valiosa hoje em dia. Com a certificação digital, todos os passos e acessos são rastreados, com registros de horário e local de acesso. Isso deixa a trilha de auditoria disposta e exposta. 

Quando os dados e a reputação da empresa estão em risco, rastrear a origem do vazamento pode não ser o suficiente. Por esse motivo, é fundamental aliar o uso do certificado digital a ferramentas de prevenção de danos, principalmente quando há o compartilhamento desse tipo de documento.

Conheça soluções que estão abrindo caminho para a segurança no Direito Digital

Diante desse cenário, surgem as lawtechs e startups de tecnologia jurídica com soluções para ajudar a tornar o ambiente digital mais seguro e habitável. Essas empresas, que chegaram para modernizar o setor jurídico, atuam com soluções nas áreas de:

  • Educação;
  • Monitoramento de dados públicos;
  • Compliance;
  • Resolução de conflitos on-line;
  • Gestão de escritórios;
  • Automação;
  • Redes de profissionais;
  • Taxtech (consultoria relacionada a impostos) e outras.

Essas startups cumprem um papel fundamental na modernização do setor jurídico. Isso porque, muitas vezes, os escritórios não têm estrutura para criar internamente as soluções necessárias para torná-los, de fato, mais ágeis. 

Sendo assim, suas soluções e tecnologias passam a fazer parte dos processos e práticas diárias dos grandes escritórios do mercado, chegando também às empresas de menor porte.

Neste sentido, também surge o Whom?, software de gestão de acesso e monitoramento de atividades no uso de certificados digitais para escritórios de advocacia e grandes empresas. Desenvolvemos essa ferramenta aqui na Doc9 com o intuito de tornar o compartilhamento de certificados em escritórios uma prática segura.

Por meio dele, é possível fazer uma gestão de acessos segura, configurando, concedendo e controlando os acessos por meio de um mesmo certificado digital. Este é um produto 100% SaaS, que permite que o usuário proteja seus dados e restrinja atividades para os usuários.

Conheça o Whom? e descubra como ele pode trazer mais segurança ao seu escritório! Garanta a proteção de dados em seu negócio por meio dessa tecnologia. Além disso, assista na integra do nosso debate na mesa.doc para complementar essa reflexão.

Klaus Riffel

CEO da Doc9

Lorem ipsum dolor sit amet

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. A vestibulum diam tincidunt mi odio aliquam tellus aliquam dictum. 

SAIBA MAIS

Compartilhe:

MAIS CONTEÚDOS PARA VOCÊ

Recompensa em Dinheiro

LEIA MAIS

Saiba Como um Advogado Correspondente pode Facilitar a Rotina da sua Empresa

LEIA MAIS

Robôs Extinguirão as Carreiras Jurídicas! Só que não

LEIA MAIS
Assine a Newsletter e fique por dentro das novidades.