31/01/2023doc9

Dados estruturados: o que são e como podem ajudar na otimização de seu site

Definir estratégias de coleta e interpretação de dados é fundamental para as empresas que querem se destacar de seus concorrentes em uma época na qual as informações são geradas em velocidade recorde.

Com a transformação digital, o volume de geração e transferência de informações cresceu de forma abrupta. Hoje, os dados são um dos principais ativos das empresas para suas estratégias de crescimento e destaque em seu mercado.

Porém, existem diversos fatores envolvidos na coleta e tratamento de dados, inclusive regulamentações para tornar o ambiente digital mais seguro. Um exemplo disso é a forma como esses dados são classificados, também conhecida como estrutura de dados.

Os dados podem ser apresentados de diversas maneiras:

  • No formato de listas, com processos específicos para cada momento;
  • Na forma de árvore, quando a estrutura obedece a uma hierarquia, com elementos principais e subordinados;
  • No formato de estrutura de dados grafos, com diferentes formas de relacionar dados;
  • No formato de Tabelas Hash, com tabelas de dispersão que associam chaves de pesquisa a valores pré-definidos;
  • No formato não estruturado.

Mas, no geral, existem três formas básicas de fazer a classificação. São os dados estruturados, não estruturados e semiestruturados. Neste artigo, você poderá entender um pouco mais sobre como funcionam as estruturas de dados. Confira!

Introdução – Dado vs. Informação

Antes de tratarmos sobre a estrutura de dados, é importante falarmos sobre o que são dados. Um dado é uma representação que gera uma informação. Sozinhos, eles não têm nenhum significado, mas quando analisados em conjunto, são responsáveis por gerar informações.

Para deixar mais claro, vamos a um exemplo: imagine uma tabela que representa os funcionários de uma empresa. Nela, estão incluídos nomes, salários, setores e diversas informações necessárias para caracterizar os funcionários.

Se analisarmos somente uma coluna desta tabela, teremos apenas dados que não levam a conclusão nenhuma. Por exemplo, na coluna do salário, terão valores de R$ 7 mil ou R$ 3.500, sobre os quais não dá para tirar nenhuma conclusão.

Agora, se analisarmos toda a linha da tabela, teremos uma informação. Por exemplo, o funcionário João Souza recebe R$ 3.500 e atua no setor de Educação. Ao analisar o todo, teremos informações a respeito dos funcionários daquela empresa. 

Mas, por que é importante fazer essa diferenciação? Porque a tecnologia trabalha com a coleta, armazenamento e tratamento de dados, enquanto as pessoas trabalham com informações. Um complementa o outro.

O que são dados estruturados?

Agora que já entendemos o que são dados, vamos falar sobre sua classificação. O primeiro tipo são os dados estruturados, que possuem uma estrutura definida e um formato padronizado.

Além disso, eles obedecem a um modelo de dados e seguem uma ordem lógica persistente e que pode ser facilmente acessada por programas e pessoas. Normalmente, esse tipo é armazenado em um banco de dados.

Quando os dados estruturados são de qualidade, eles possuem diversas características, independente da forma de armazenamento ou do assunto da informação. Seus principais atributos são:

  • Possuem uma estrutura identificável e em conformidade com um modelo de dados;
  • São apresentados por meio de linhas e colunas, assim como um banco de dados;
  • São organizados de maneira que a definição, o formato e o significado dos dados sejam facilmente entendidos;
  • Possuem campos fixos nos arquivos ou registros;
  • Grupos de dados semelhantes são agrupados em classes;
  • Dados do mesmo grupo possuem os mesmos atributos;
  • As informações podem ser facilmente acessadas e consultadas por outros programas e pessoas;
  • É possível tratar, analisar e processar os elementos de forma eficiente.

As fontes de dados podem variar de acordo com a organização. Alguns dados são gerados por computadores ou máquinas sem a necessidade de intervenção humana. Exemplos de dados capturados de forma automática por máquinas são: dados de sensor, logs da web e informações financeiras. 

Também há os dados fornecidos por humanos, como respostas a pesquisas, dados de fluxo de clientes em um site ou o passo a passo das ações realizadas em um jogo online, por exemplo.

O que são dados não-estruturados?

Também há dados não-estruturados, que não podem ser organizados em tabelas e bancos de dados. Sua estrutura não é bem definida e não possui um padrão pré-estabelecido. São dinâmicos e flexíveis, e podem ser compostos por diferentes elementos.

Os dados das redes sociais são um ótimo exemplo de dados não estruturados, já que são compostos por grande volume de textos, imagens, vídeos e outros elementos criados de forma diária pelos usuários das tecnologias.

A maior parte dos dados gerados no mundo são não estruturados. Sua análise é um pouco mais complexa, já que é difícil processar e recuperar essas informações por não possuírem componentes que as identifiquem.

O que são dados semiestruturados?

Além disso, há os dados semiestruturados. Eles são uma mistura dos anteriores e têm uma representação estrutural homogênea. Apesar de serem parcialmente estruturados, com algumas características definidas, não são limitados por uma estrutura rígida.

Normalmente, os esquemas para dados semiestruturados são definidos somente após a sua coleta. A base desses esquemas são as buscas e análises das estruturas particulares, diferenças e similaridades.

Propriedades de metadados ou tags semânticas são usadas para torná-los mais gerenciáveis. Porém, eles permanecem com variabilidades e inconsistências. Nos bancos de dados semiestruturados, as informações não são armazenadas em tabelas, mas em outros formatos, como o XML.

Como os dados estruturados auxiliam o SEO

O Google define os dados estruturados como uma forma padronizada de fornecimento de informações e classificação de conteúdo de uma página. Quem adota essa ferramenta em seu site permite que o Google faça a coleta de informações sobre a internet e o que está acontecendo no mundo.

Além disso, essa é uma forma de ranquear os resultados de pesquisa de maneira mais precisa. Isso porque a ferramenta cria recursos e pode aprimorar os resultados de pesquisa para sua página.

Assim, utilizar essa ferramenta é uma forma de otimizar ainda mais o ranqueamento orgânico de seu site nos resultados do Google, que é o principal objetivo das técnicas de Search Engine Optimization (SEO).

Páginas que possuem dados estruturados da forma correta são aptas a serem exibidas até nos resultados de buscas por imagens ou vídeos do Google.

Exemplos dos três tipos de dados

Dados estruturados

Os bancos de dados são o exemplo mais típico de dados estruturados. Isso porque eles organizam os dados por meio de linhas e colunas. Por exemplo, um banco de dados não permitirá que dados diferentes das estruturas preestabelecidas sejam carregados, da mesma forma que se a coluna de uma tabela foi programada para receber informações numéricas, ela não permitirá dados textuais.

As tabelas organizadas em linhas e colunas são um exemplo mais simples. Caso elas possuam uma estrutura fixa, com o mesmo formato para todos os registros, elas representam um conjunto de dados estruturados.

Dados não estruturados

Quando alguém redige um documento em uma ferramenta de texto, normalmente não há restrições ou limites. O usuário pode inserir textos, imagens ou gráficos de acordo com a sua vontade e de maneira não rígida. Tudo isso faz com que os documentos de texto sejam normalmente considerados dados não estruturados.

Dados semiestruturados

Os dados escritos em Linguagem de Marcação Extensível (XML) são exemplos de dados semiestruturados. Esta linguagem permite a representação e a manipulação de elementos em formato de texto junto com os dados. Ela também não impede a implementação de estruturas diferentes em um momento posterior.

Vantagens de usar dados estruturados em seu site

Apesar de a classificação de dados não ser considerada um fator de ranqueamento no Google, usar dados estruturados traz diversos benefícios para o SEO e para seu negócio. Confira os principais:

Mais clareza aos resultados de pesquisa

A estrutura de dados faz com que as pessoas saibam o que encontrarão em sua página de forma mais clara. Isso porque, os buscadores entendem seu conteúdo de maneira mais clara e organizam e destacam suas informações na SERP.

Conteúdo mais relevante

Usar dados estruturados ajuda os motores de busca a exibirem as informações mais relevantes para as buscas na SERP. Com isso, podem oferecer uma experiência melhor aos usuários.

Melhor experiência de busca mobile

Quem faz a marcação de dados do Accelerated Mobile Pages (AMP) ajuda na organização das informações na SERP em dispositivos móveis e ainda ajuda a aumentar a velocidade das páginas e a melhorar a usabilidade do site. 

Pesquisa avançada

Usar essa ferramenta ajuda a levar sua página para os resultados de busca avançada do Google ou para o Painel do Conhecimento. Assim, por meio da marcação de dados, é possível exibir sua página para pessoas que buscam por resultados específicos.

Torna a indexação mais rápida

O Google não consegue indexar todas as bilhões de páginas que existem na web, já que este é um processo caro e existem diversas páginas duplicadas ou com conteúdo de baixa qualidade. Por isso, usar essa ferramenta é uma forma de ajudar o Google a encontrar seu conteúdo de forma mais fácil e a entendê-lo da melhor maneira.

Aumento da taxa de conversão

Ao usar os dados estruturados da forma correta, você pode atrair mais visitantes qualificados ao seu site. Como consequência, terá um aumento em sua taxa de conversão, tanto na geração de leads quanto nas finalizações de compras.

Ao usar a marcação de produtos, você oferece ao usuário informações sobre preço, disponibilidade e avaliações ainda nos resultados de pesquisa. Os dados estruturados também permitem que o site exiba detalhes sobre frete e redução de preço, indispensável em e-commerces, por exemplo.

Como implementar dados estruturados na sua estratégia de SEO

A implementação dessa ferramenta depende da forma como você gerencia seu site. Se você tiver controle direto sobre o HTML, é possível usar sintaxes para expressar os dados estruturados no HTML.

Para fazer a implementação manual de dados estruturados, é preciso:

  • Adicionar as propriedades necessárias conforme o tipo de schema;
  • Seguir as orientações técnicas. Por exemplo: a escolha dos formatos comportados;
  • Seguir as orientações de qualidade. Por exemplo: conteúdo e relevância;
  • Validar o código por meio de teste de pesquisa aprimorada;
  • Implantar páginas que utilizam dados estruturados e usar a ferramenta de inspeção de URL para analisar a forma como o Google vê a página. Para isso, é preciso garantir que a página está acessível ao Google;
  • Acompanhar a performance da página por meio do Google Search Console.

Plataformas de publicação que trabalham com dados estruturados para sites

Quem usa plataformas de gerenciamento de conteúdo como WordPress ou Wix pode utilizar plugins para expor dados estruturados de forma automática para o conteúdo já existente no site em questão.

Assim, caso seu site possua um calendário de eventos, por exemplo, é possível buscar por plugins que produzam dados estruturados de eventos. Também é importante se certificar de que o plugin é configurado conforme a documentação do Google.

Para adicionar essa ferramenta ao WordPress, por exemplo, é possível utilizar os plugins Yoast e Rank Math. Quem usa o Yoast deve seguir esses passos:

  • Na página de edição do post, busque a caixa do Yoast SEO;
  • Na parte que contém as pontuações de SEO e legibilidade, você encontrará a aba “Schema” ou “Esquema”;
  • Clique na aba e selecione o tipo da página: se é um post, FAQ, página de contato ou  outra; e também o tipo de conteúdo: artigo, blog, notícia ou outra;
  • Faça as configurações;
  • Clique em publicar ou atualizar, se for o caso.

Para quem utiliza o Rank Math, o passo a passo é esse:

  • Na página desejada, clique na pontuação no canto superior direito;
  • Em configurações, clique na aba “Schema”;
  • Selecione os formatos desejados: artigo, vídeo ou outros;
  • Salve as configurações.

Tanto a versão gratuita quanto a Pro do Rank Match permitem a configuração de dados estruturados. Porém, na versão Pro, o usuário possui mais recursos para sua edição.

Conclusão

Dados estruturados, não-estruturados e semiestruturados possuem diversas possibilidades de uso, análises e interpretações. Implementá-los nos sites é fundamental para quem busca uma boa colocação nos resultados de busca do Google.

Com isso, é possível informar melhor tanto os mecanismos quanto os usuários do Google a respeito dos conteúdos de sua página. Além deste, o uso de dados estruturados traz diversos benefícios, como o aumento da taxa de clique e do tráfego orgânico de seu site.

Gostou desse conteúdo? Então continue acompanhando o blog do Whom para ficar por dentro das melhores dicas de tecnologia para o seu negócio.

Lorem ipsum dolor sit amet

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. A vestibulum diam tincidunt mi odio aliquam tellus aliquam dictum. 

SAIBA MAIS

Compartilhe:

MAIS CONTEÚDOS PARA VOCÊ

Recompensa em Dinheiro

LEIA MAIS

Saiba Como um Advogado Correspondente pode Facilitar a Rotina da sua Empresa

LEIA MAIS

Robôs Extinguirão as Carreiras Jurídicas! Só que não

LEIA MAIS
Assine a Newsletter e fique por dentro das novidades.