24/01/2023doc9

Definições do certificado x 509 e como criar

As certificações digitais permitem a realização de transações eletrônicas por meio da internet. O certificado x 509 é um modelo desse documento que trata de chaves públicas.

Os certificados digitais servem para garantir que a integridade, a autenticidade e a confidencialidade de transações online sejam preservadas. Esta é uma ferramenta para evitar roubos de informações, adulterações e outras ações indevidas.

Os certificados x 509 são um modelo de certificado digital que pode representar um usuário, computador, serviço ou dispositivo. Seu grande diferencial é que são emitidos por uma Autoridade Certificadora (AC) e contém a chave pública da entidade do certificado. 

Neste artigo, falamos um pouco mais sobre esse tipo de documento, as diferenças em relação a outros tipos de certificados e as chaves públicas e privadas. Continue esta leitura e tire todas as suas dúvidas!

Introdução

Os certificados digitais também são conhecidos como certificados de chave pública ou certificados de identidade. Para garantir a integridade e a coesão dos dados contidos no documento, ele é assinado de forma digital.

Estes documentos eletrônicos vinculam a identidade do proprietário a um par de chaves eletrônicas. Elas podem ser usadas para assinar, criptografar ou descriptografar dados eletrônicos.

Quando usados junto com a criptografia, os certificados digitais apresentam uma solução de segurança da informação bastante completa para garantir a preservação da identidade de todos os envolvidos na transação em questão.

O que é um Certificado x 509?

O certificado x 509 é um modelo de certificados de chave pública. Esses documentos digitais fazem a associação segura de pares de chaves criptográficas a identidades de pessoas, sites ou empresas.

Este modelo de documento online faz parte de uma série, sendo que o modelo x.500 foi a primeira versão aprovada pelo Setor de Padronização de Telecomunicações da União Internacional de Telecomunicações (ITU-T) em 1988. 

O x.500 reúne diversos padrões sobre serviços de diretório para redes de computadores. Um exemplo desses padrões é a definição do Directory Acess Protocol (DAP), no qual o LDAP e outros serviços de diretório se baseiam.

O certificado X 509 é um dos padrões da série X.500, se referindo a certificados de chave pública. Por conta de sua grande importância, este modelo acabou extrapolando o escopo da série.

Esse tipo de documento é usado por duas principais razões:

  1. Para a verificação da identidade de um indivíduo, site ou organização. Ou seja, por meio dele, é possível informar aos usuários que a organização ou pessoa realmente é quem diz ser;
  2. Proteger dados contra-ataques man-in-the-middle (MitM) por meio da criptografia assimétrica.

O certificado digital X 509 está em sua terceira versão, publicada em 1996 por meio de uma colaboração entre a ISO/IEC, ITU-T e ANSI. A principal característica deste certificado é a existência de um emissor.

Isso significa que, além dos dados de identificação do titular, o documento carrega a identificação de quem o emitiu, ou seja, de quem garante a veracidade dos dados. O padrão do certificado x 509 determina que a emissão dos certificados digitais aos usuários finais deve ser feita por uma entidade confiável, como uma AC.

Essas instituições são responsáveis por controlar todo o ciclo de vida dos certificados emitidos por ela. Também devem prezar pelo sigilo da própria chave privada utilizada na assinatura.

Por esse motivo, uma AC deve ter uma estrutura robusta, contando com mecanismos de: 

  • Auditoria;
  • Segurança com salas-cofre;
  • Tolerância a falhas;
  • Documentação de eventos e procedimentos.

Contudo, atividades burocráticas de recolhimento e conferência de documentação, por exemplo, não fazem parte do escopo das ACs. Por esse motivo, as Autoridades de Registro (AR) funcionam como subsidiárias operacionais da AC.

Diferenças entre o certificado x 509 e outros tipos de certificado

Além dos certificados de chave pública x 509, há diversos outros tipos de certificados:

  • Certificados Simples de Infra-Estrutura de Chave Pública – Simple Public Key Infrastructure Certificates (SPKI);
  • Certificados Pretty Good Privacy (PGP);
  • Certificados de Atributos.

Um mesmo certificado também pode apresentar diferentes versões e extensões opcionais, que permitem seu uso em aplicações específicas.

Para entender as diferenças entre o certificado x 509 e outros tipos de certificado, vamos citar como exemplo o PGP. Este meio foi criado para cifrar e assinar e-mails e arquivos de forma digital.

As principais diferenças entre um certificado x 509 e um certificado PGP são:

  • É possível criar seu próprio certificado PGP, enquanto para obter um certificado x 509 é necessário solicitá-lo a uma AC;
  • Diferente dos PGP, os certificados x 509 suportam apenas um nome para o dono de chave;
  • Além disso, os certificados x 509 suportam apenas uma assinatura digital para atestar a validade da chave, enquanto no PGP é possível incluir várias.

Como usar o Certificado X 509 para autenticação e criptografia de dados?

Os certificados X 509 são certificados de chave pública confiáveis para realizar a autenticação e criptografia de identidades digitais de usuários, máquinas ou processos. Para isso, usam como base sua forte estrutura criptográfica e a forma como são emitidos.

Esse formato de certificado é base para todas as identidades digitais. Por isso, estão em toda parte e são fundamentais para todos os processos conectados. O X 509 tem como base o padrão da União Internacional de Telecomunicações (ITU), que é aceito em todo o mundo.

O padrão também foi adaptado à infraestrutura de chave pública da Internet Engineering Task Force (IETF), que definiu seu próprio padrão de certificado de infraestrutura de chave pública X.509 e lista de certificados revogados (CRL) da Internet (RFC 5280).

Ele define que um par de chaves criptográficas relacionadas (uma chave pública e uma privada) sejam usadas. A chave pública é composta por uma sequência de vários números e pode ser usada para criptografar o conteúdo de uma mensagem.

Por meio dele, é possível verificar a identidade de um indivíduo, site ou organização. Isso significa que ele informa aos usuários que a pessoa ou a organização realmente é quem diz ser.

Saiba como se prevenir de ataques cibernéticos 

Quais são os benefícios de usar o Certificado X 509 na segurança de redes e transações eletrônicas?

O certificado X 509 é o padrão utilizado pela Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil) para a emissão de certificados digitais. Confira os benefícios desse tipo de documento para a segurança de redes e transações eletrônicas:

Segurança e privacidade

Certificados que seguem o padrão X 509 têm suas informações criptografadas, garantindo a autenticidade e a integridade das transações. Com isso, o usuário tem a garantia de que não há fraude ou violação nos dados dos acordos realizados de forma online.

Redução de custos

Transações realizadas de maneira segura por meios eletrônicos evitam despesas com a aquisição e armazenamento de papel. Além disso, as empresas deixam de ter gastos com a impressão de documentos ou com a logística para a coleta de assinaturas.

Sustentabilidade

Certificados digitais emitidos no padrão X 509 permitem que empresas e pessoas físicas reduzam o uso de papel e impressões em sua rotina. Essa é uma forma de contribuir ativamente para a conservação dos recursos naturais e a redução do desmatamento.

Segurança jurídica

Um certificado no padrão X 509 emitido por uma AC credenciada ao ICP-Brasil tem sua validade jurídica garantida. Assim, não é mais necessário reconhecer firma em cartório, reduzindo a burocracia e viabilizando diversos acordos.

Agilidade e praticidade

Por meio de um certificado X 509, é possível realizar transações em qualquer horário e local, garantindo mais agilidade e praticidade aos processos. Isso evita o risco de perder contratos vantajosos para o negócio porque os cartórios estavam fechados, por exemplo.

Melhoria no fluxo de trabalho

Lidar com pilhas de papel, contratos a assinar, informações descentralizadas e outras questões dificultam uma gestão eficiente de processos. Por outro lado, com o certificado X 509, todo o fluxo de trabalho pode ser gerenciado com mais facilidade e eficiência.

Quais são os principais padrões e protocolos que utilizam o Certificado X 509?

Os certificados X 509 reúnem vários padrões a respeito de serviços de diretório para redes de computadores. Por exemplo, a definição do Directory Acess Protocol (DAP), no qual o LDAP e outros serviços de diretório se baseiam.

Os certificados X 509 possuem três componentes principais:

  1. Par de chaves;
  2. Assinatura digital;
  3. Informações sobre a identidade do emissor e do proprietário.

É o padrão X 509 que define o formato dos certificados de infraestrutura de chave pública (PKI). Esse tipo de certificado é usado para verificar a identidade digital de qualquer usuário, máquina ou processo. 

Existem diversas aplicações para esse tipo de documento, como:

  • Certificados de servidor da Web – Para proteger as comunicações entre um servidor e um navegador da Web, além de autenticar a identidade do servidor;;
  • Assinatura de documentos – Para garantir a autenticidade de um documento e assegurar que ele não foi adulterado;
  • Assinatura de código – Para garantir que um software vem de fonte confiável e não foi adulterado, além de verificar a identidade do mesmo;
  • Segurança de e-mail – P​ara criptografar e-mails, autenticar a identidade do remetente e assinar mensagens de e-mail, permitindo que o destinatário verifique a autenticidade da mensagem;
  • Chaves SSH – Para autenticar a identidade de um usuário ou um computador que se conecta a um servidor remoto e para criptografar comunicações entre um usuário e um servidor remoto.

Como verificar a autenticidade de um Certificado X 509?

Para verificar a conformidade de um certificado X509, o usuário pode acessar uma ferramenta gratuita do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (IT), do Governo Federal. É o Verificador de Conformidade do Padrão de Assinatura Digital da ICP-Brasil.

Na plataforma, basta selecionar o arquivo da assinatura ou o documento assinado digitalmente e clicar em verificar autenticidade. Em alguns segundos, o próprio sistema indicará se o arquivo é válido ou inválido, com base na veracidade das informações verificadas ou na data de validade do certificado. 

Além disso, o usuário pode ver, parcialmente, os dados de quem realizou a assinatura, além da Autoridade Certificadora.

Como também é possível verificar a autenticidade do certificado X 509 por meio das chaves criptográficas pública e privada. Isso porque cada documento possui uma numeração única. Se as chaves forem válidas, o certificado será considerado válido. 

De forma geral, o processo é semelhante ao realizado por meio do verificador do ITI. Porém, o usuário deve consultar o documento e conferir se o número “SHA256” presente no documento assinado é o mesmo da assinatura da pessoa ou empresa com quem está realizando a transação.

Saiba o que é e-cnpj e como emiti-lo 

Aplicativos em que se usam Certificados x 509

Estão inclusos nos aplicativos comuns dos certificados x 509:

  • SSL /TLS e HTTPS para navegação na web autenticada e criptografada;
  • Assinatura de código e documento;
  • Autenticação de cliente;
  • E-mail assinado e criptografado via S/MIME protocolo;
  • ID eletrônico emitido pelo Governo.

O que está contido em um Certificado x 509

Independente de ser um certificado SSL, certificado de assinatura de documento ou certificado de autenticação de cliente, os certificados X 509 possuem três componentes principais:

  1. Par de chaves;
  2. Assinatura digital;
  3. Informações sobre a identidade do emissor e do proprietário.

Entenda mais sobre cada um:

Par de Chaves

Um certificado x 509 possui duas chaves: uma pública e uma privada. A depender do aplicativo, esse par de chaves permite que o usuário assine documentos por meio da chave privada para que quem receba o documento possa verificar a assinatura por meio da chave pública relacionada.

No caso de certificados SSL/TLS, o par de chaves possibilita ao remetente criptografar mensagens ou dados por meio da chave pública para que somente o proprietário consiga descriptografar o texto da cifra.

Assinatura Digital

A AC adiciona uma assinatura digital para garantir aos usuários que aquele certificado é verídico. A assinatura digital é a prova de que o certificado recebido pelo usuário é exatamente o mesmo emitido pela autoridade de certificação confiável para aquele site.

Informações de Identidade

O certificado x 509 é composto por diversas informações da parte para a qual o certificado é emitido e da AC que o emitiu. As informações padrão de um certificado X 509 incluem:

  • A versão do X 509 que se aplica ao certificado;
  • Número de série definido pela AC para identificar os certificados;
  • Informações do algoritmo de hash utilizado pela AC para assinar o certificado; 
  • Nome da AC emissora do certificado;
  • Período de validade do certificado;
  • Nome da identidade para a qual o certificado é emitido (pessoa, empresa, nome de domínio, etc.);
  • Chave pública do certificado.

Vantagens de obter um Certificado x 509

As principais vantagens de um certificado x 509 são:

  • A possibilidade de autenticação da identidade do usuário;
  • Esta é uma forma de manter seus dados em segurança;
  • Como esses certificados precisam ser emitidos pela AC, os documentos são mais seguros, confiáveis e possíveis de serem validados.

Chaves públicas e privadas

As chaves criptográficas são um conjunto de informações que têm como base um algoritmo com regras bem definidas para cifrar e decifrá-las. Essas chaves podem ser simétricas ou assimétricas (chaves públicas).

As primeiras (chaves simétricas) são simples: o emissor e o receptor usam a mesma chave para cifrar e decifrar as informações protegidas. Já as segundas (chaves assimétricas) trabalham com duas chaves: a chave privada e a chave pública. Elas são geradas ao mesmo tempo, associadas uma à outra.

No modo assimétrico, o proprietário deve disponibilizar uma chave pública para que outras pessoas ou empresas lhe enviem informações sigilosas. Assim, ele deve usar a chave privada para decifrar os dados e ter acesso a essas informações.

Independente das aplicações pretendidas, todos os certificados x 509 incluem uma chave pública. Por meio desse par de chaves, é possível:

  • Que o proprietário faça a assinatura digital de documentos. Essas assinaturas podem ser verificadas por qualquer pessoa por meio da chave pública correspondente;
  • Que terceiros enviem mensagens criptografadas por meio da chave pública para que apenas o proprietário da chave privada consiga descriptografá-las.

Dicas de como criar um Certificado x 509

A Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil) permite que as certificações digitais sejam amplamente utilizadas e aceitas do ponto de vista legal. Porém, empresas de qualquer porte podem criar sua própria ICP.

Por exemplo: uma empresa cria uma política de uso de certificados digitais exclusivamente para a troca de informações entre a matriz e as filiais. Nesse caso, não é necessário solicitar esses certificados a uma AC controlada pela ICP-Brasil.

A própria empresa pode criar sua ICP e, por exemplo, fazer com que um departamento das filiais atue como AC ou AR para solicitar ou emitir certificados para os funcionários. Isso é possível porque existem certificados que têm o poder de assinar a emissão de outros certificados.

Para saber mais sobre a certificação digital no Brasil, você pode acessar o site do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI). Nele, você encontra documentos referentes à legislação, resoluções, procedimentos, orientações e notícias relacionadas a este tema.

Qual é o futuro do Certificado X 509 e como ele se adapta às novas tendências tecnológicas e de segurança?

A certificação digital não é mais uma ferramenta do futuro. Hoje, ela faz parte da rotina de milhões de brasileiros e pessoas pelo mundo. Além disso, o uso desse recurso vem crescendo em ritmo acelerado.

Mas, para pensar sobre o futuro dessa ferramenta, precisamos falar sobre temas como autenticação multifator, internet das coisas (IoT) e ICPs que extrapolam fronteiras. Saiba mais sobre esses assuntos:

Biometria

O termo biometria não implica somente no uso de digitais. De maneira ampla, o termo se refere a qualquer forma de autenticação que use uma característica própria do corpo humano para verificar a identidade de uma pessoa.

Esse tipo de autenticação pode acontecer com base em três fatores distintos. Todo acesso que alguém faz no ambiente digital conta com um ou mais dos seguintes fatores:

  • Aquilo que a pessoa sabe, como senhas;
  • Aquilo que a pessoa tem, como cartões e tokens;
  • Aquilo que a pessoa é, como a biometria.

Autenticações multifatoriais são responsáveis por aumentar o nível de segurança dos acessos e transações. Além disso, o fator biométrico está em ampla e contínua expansão no mercado.

As tecnologias biométricas vêm se popularizando nos últimos anos. Hoje, itens como a leitura da íris ou da retina dos olhos, ou a geometria da mão, ou veias, já são comuns no sistema bancário, por exemplo.

Assim, os certificados X 509 deverão armazenar esse tipo de informação e solicitar autenticação multifatores para aumentar a segurança dos dados nele contidos.

Regulações internacionais

As regulações no setor de certificação digital se dão por meio das infraestruturas de chaves públicas de cada país. Com isso, os padrões de segurança e práticas para as certificações digitais se tornam exclusivos de cada país, o que não possibilita o uso compartilhado entre nações.

Porém, com a popularização dos certificados e a crescente necessidade da assinatura de documentos e contratos de forma eletrônica, a expectativa é que surjam acordos internacionais para possibilitar o uso desses documentos com validade que extrapola as fronteiras de cada ICP. 

Internet das coisas (IoT)

O termo em inglês Internet of Things (IoT – internet das coisas) é um dos temas que está mais em alta quando se trata de digitalização e Indústria 4.0. Caminhamos para um futuro em que praticamente tudo estará conectado à internet, desde eletrodomésticos até cada máquina em uma linha de produção.

Com isso, será necessário buscar meios seguros para o armazenamento e acesso dos dados relacionados a esse tipo de item. Assim, as ICPs e certificados digitais provavelmente entrarão nessa história nos próximos anos, criando padrões de acesso mais robustos para oferecer estrutura para esse tipo de integração tecnológica.

Conclusão

O certificado digital x 509 é utilizado para assegurar a identidade de pessoas, sites e empresas em transações eletrônicas. Seu principal diferencial é a obrigatoriedade de ser emitido por uma Autoridade Certificadora.
Continue acompanhando o blog do Whom para não perder nenhum assunto relacionado à segurança da informação em seu negócio.

Lorem ipsum dolor sit amet

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. A vestibulum diam tincidunt mi odio aliquam tellus aliquam dictum. 

SAIBA MAIS

Compartilhe:

MAIS CONTEÚDOS PARA VOCÊ

Recompensa em Dinheiro

LEIA MAIS

Saiba Como um Advogado Correspondente pode Facilitar a Rotina da sua Empresa

LEIA MAIS

Robôs Extinguirão as Carreiras Jurídicas! Só que não

LEIA MAIS
Assine a Newsletter e fique por dentro das novidades.